Prêmio Hugo de Carvalho Ramos 2022

O Prêmio Hugo de Carvalho Ramos (ou bolsa de publicações Hugo de Carvalho Ramos) é um concurso literário criado em 1944 com a finalidade de premiar obras inéditas de autores nascidos ou residentes no estado de Goiás. É promovido anualmente pela Prefeitura de Goiânia e organizado pela União Brasileira dos Escritores – Seção Goiás. Os

Tolerância tem limite

Em muitos episódios históricos já ficou demonstrado que a tolerância com os desmandos de pessoas e/ou grupos organizados trouxeram consequências nefastas para a convivência harmônica da sociedade. Esses agentes, normalmente guiados por visões fundamentalistas do mundo, querem impor a sua filosofia, e para isso, usam de todas as formas de persuasão. Começam quase sempre pelo

Às mestras (es) com carinho

Recordo-me da Fazenda Barreirinho, na zona rural de Crixás, naqueles idos de 1.960. Eu começava a trocar os primeiros passos, e ainda assim, acompanhava a minha mãe nas manhãs ensolaradas e quentes, quando ela lecionava para os alunos da escola rural. Essa escola, aliás, um barracão ao lado da casa principal, foi um esforço do

Um encontro virtual

Zé Barbosa olhava pela janela do seu apartamento. O final da tarde estava calmo, com o sol se escondendo atrás dos prédios e os pássaros buscando agasalho nas copas das árvores. Incrível como acontece essa interação entre asfalto e natureza, pensou. Com um pouco de atenção, podia-se notar que as árvores viviam cheias de habitantes,

Independência ou Morte

A liberdade é definida pela filosofia como a “independência, autonomia, auto-determinação, espontaneidade e intencionalidade”, que em sentido amplo, pode ser traduzida na capacidade do ser humano de “agir por si mesmo”. Essa condição – ser livre – é uma característica intrínseca do ser humano desde os primórdios da civilização. O homem primitivo não conhecia fronteiras,

Reflexo no Espelho

              “Toda nação tem o governo que merece”. A frase que entrou para a história, dita pelo filósofo francês Joseph de Maistre, (1753-1821), parece atual 250 anos depois. Considerando o termo “stricto sensu”, poderemos fazer uma leitura superficial do pensamento filosófico, replicando-a para o tempo presente e consequentemente para a realidade em que vivemos.